Missão Xavante em combate ao covid-19 chega a territórios indígenas na região do Araguaia

Tenente Camila Reis de Santana é uma das profissionais de saúde que deixou a unidade onde atua, a Policlínica Naval de São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, para participar da operação. “Meu sentimento é de profunda admiração pelos povos indígenas. Tento trabalhar da forma mais humana e generosa possível. O que posso fazer é oferecer para eles os serviços e os saberes que a ciência produz nos grandes centros urbanos”, relata a enfermeira.

Da Redação

Anúncio

Em um exemplo de trabalho em equipe entre SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena), Ministério da Defesa, Marinha, Exército, Aeronáutica, DSEI (Distrito Sanitário Especial Indígena) e Prefeitura de São Félix do Araguaia aconteceu a Missão Xavante, ação em prol da saúde dos povos indígenas.
Os povos Karajás das Aldeias Santa Isabel e Fontoura vivem as margens do Rio Araguaia, nas proximidades do município de São Félix do Araguaia. Mesmo teoricamente isolados por viverem na maior ilha fluvial do mundo, a Ilha do Bananal, eles estão sofrendo com a contaminação pelo novo coronavírus.
O Polo São Félix do Araguaia, do Distrito Sanitário Especial Indígena Araguaia (DSEI Araguaia), é responsável por cerca de 6 mil indígenas. Existem sete diferentes etnias na região, entre eles, os Karajás. Além de conter o avanço da pandemia no âmbito dessas comunidades, o atendimento médico nas Terras Indígenas busca apoiar os governos locais, evitando a remoção de pacientes para a rede hospitalar municipal. “Começando o tratamento precocemente, diminui a chance de complicação e internação hospitalar. Não precisamos retirar o indígena do seu território para atendê-lo, com um controle sanitário rígido. Todos os profissionais envolvidos realizaram exames de Covid-19 e ainda orientaram quanto ao distanciamento social e ao uso de equipamentos de proteção”, afirma Tatiana Helena Belmonte, coordenadora das ações da Secretaria de Saúde do Mato Grosso na Missão Xavante.

Para que acontecesse essa ação, no final do mês passado, o 22º Batalhão de Infantaria Motorizado, Coronel Carlos Gabriel Brusch Nascimento juntamente com outros militares desembarcaram em São Félix do Araguaia e com o apoio do Capitão-Tenente Jaecy Fonseca de Medeiros, Comandante da Agência da Marinha e Capitão Francisco Inácio de Oliveira, Delegado do Serviço Militar de São Félix do Araguaia. A ação teve o apoio do Governo Federal, da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Prefeitura municipal de São Félix do Araguaia, mais uma ação da Operação Covid-19 vai reforçar o combate à pandemia em área indígena.
As equipes desembarcaram no último domingo em uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) trazendo equipes médicas das forças armadas e desenvolveu atendimento a indígenas nas etnias Karajás nas comunidades adjacentes ao município de São Félix do Araguaia na Ilha do Bananal. Foram atendidas as aldeias Santa Isabel, Fontoura, Itxalá e Macaúba, as últimas no município de Santa Terezinha e a missão ocorreu nos últimos dias 3 a 9.
A Funai disponibilizou mil cestas básicas para as comunidades e o Ministério da Saúde enviou uma tonelada de suprimentos médicos, com medicamentos, equipamentos de proteção e testes para Covid-19.

Além de diagnosticar casos suspeitos de Covid-19, também distribuem álcool em gel 70% e kits de higiene. Os profissionais dão orientações sobre isolamento social e uso de equipamentos de proteção individual, além de atuar em relação ao diagnóstico e ao tratamento de outras questões de saúde que afetam os indígenas.

Tenente Camila Reis de Santana é uma das profissionais de saúde que deixou a unidade onde atua, a Policlínica Naval de São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, para participar da operação. “Meu sentimento é de profunda admiração pelos povos indígenas. Tento trabalhar da forma mais humana e generosa possível. O que posso fazer é oferecer para eles os serviços e os saberes que a ciência produz nos grandes centros urbanos”, relata a enfermeira.

“Nosso trabalho caracteriza a união de esforço interministerial e de diversos órgãos das esferas municipal, estadual e federal. Com isso, temos a convicção de que os povos indígenas estarão mais protegidos nessa pandemia”, afirma o Comandante do 22º Batalhão de Infantaria, da capital de Tocantins, Coronel Carlos Gabriel Brusch Nascimento.

O líder da comunidade, o cacique Juanahu Karajá, assegura que “o apoio chegou numa boa hora para a nossa comunidade. Vai nos ajudar muito”, declarou.

Capitão-Tenente Jaecy Fonseca de Medeiros – Comandante da Agência da Marinha em São Félix do Araguaia

Para encerrar a ação foi realizada uma Ação Cívico Social (ACISO) em benefício da população do município de São Félix do Araguaia para atender demandas do município em especialidades como pediatria, ginecologia e clinico geral em apoio a comunidade local em resposta ao acolhimento da sociedade para viabilização da missão.
Além dos atendimentos convencionais, foram realizados testes de covid-19 proporcionando apoio as equipes de atendimento ao enfrentamento a pandemia as comunidades indígenas. Os atendimentos médicos foram realizados por uma equipe formada por 2 clínicos gerais, 2 pediatras e 2 ginecologista/obstetras, que tiveram o suporte de 3 enfermeiros e 6 técnicos em enfermagem, todos das forças armadas, além dos profissionais de saúde e administrativos do DSEI e da Secretaria de Saúde de São Félix do Araguaia.
Toda a missão é a comprovação que ações coletivas realizam grandes feitos e quem sai ganhando é a população.

Via: Gov.br